Utilizando o P/L para decidir entre renda fixa e ações.

Na semana passada eu estava pensando em escrever sobre algo que considero importantíssimo para quem pretende entrar nesse mundo de investimentos: a fundamental importância da relação entre Preço/Lucro (P/L). Eis que li uma notícia que dizia mais ou menos isso: “A sinalização do Federal Open Market Committe (FOMC) em elevar a taxa de juros americana em 2014, reduziu a atratividade global das bolsas frente aos Títulos do Governo Americano.” Era a pegada que eu precisava para começar.

Lembrei-me de dois conceitos básicos: de que investir em ações é buscar crescimento do dinheiro investido, enquanto investir em renda fixa é manter o poder de compra do dinheiro no tempo.

Particularmente sempre uso o P/L para fazer a comparação entre o mercado acionário e a renda fixa. Sim, o dinheiro que você vai investir precisa ter mobilidade e em momentos de crise ele tem que migrar para ativos mais seguros e que o mantenham rendendo. É uma questão de saber administrar o seu dinheiro.

Mas vamos ao índice P/L. Ele é o resultado da divisão do preço da ação (P),pelo lucro por ação (L). Existem algumas maneiras para calcular o P/L usando o lucro de 12 meses anteriores, o lucro projetado ou uma média de períodos, algo como uma média dos últimos 5 anos.

Mas se você quiser avaliar a atratividade entre o mercado acionário e uma aplicação de renda fixa o melhor é utilizar o P/L projetado porque a taxa de renda fixa que você estará comparando será vigente por 12 meses à frente.

Demonstrando a minha tese da utilidade do P/L

Vamos imaginar que você esteja com seu dinheiro aplicado na bolsa e sua carteira apresenta um P/L médio projetado de 13,7x. Agora vamos trabalhar o psicológico: você vê a possibilidade de algum perigo na bolsa num horizonte de 12 meses e decide então buscar alternativas de investimento. Pesquisando outras oportunidades de investimento você se depara com os títulos públicos que apresentam as seguintes taxas de rentabilidade expressas em percentual:

PLcompara

Como um investidor frio e calculista você opta em adquirir uma LTN com a maior taxa de juros ao ano, a de vencimento 01/01/2017. Bem, como faço agora para comparar o P/L da carteira de ações e a LTN que eu quero comprar? Fácil, recorra ao cálculo do P/L. É assim: calcule o inverso da taxa de juros ao ano e o resultado será o P/L da Renda fixa que você poderá comparar com o P/L da sua carteira e decidir com mais segurança.

 A fórmula é:                        

 1 ÷ taxa LTN01/01/17 = 1 ÷ 11,15% = 1 ÷ (11,15/100) = 8,97

 P/L da carteira de investimentos =13,74x

P/L renda fixa =8,97x.

Sabendo que em tese o P/L quanto menor melhor podemos, então, optar com segurança em alocar os recursos na renda fixa pois seu retorno, 8,97, se dará em menor tempo do que manter o dinheiro investido em ações, 13,74.

É dessa forma que avalio o melhor momento para alocar os recursos entre a renda fixa e a renda variável.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: