A inflação e seus investimentos – Março de 2015

O IPCA – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) continuou a ganhar força em março. O índice apresentou no mês uma variação de 1,32%, ficando acima da taxa de fevereiro que foi de 1,22%. Com isto, o acumulado no ano de 2015 ficou em 3,83%, a maior taxa para um primeiro trimestre desde 2003, quando a alta foi de 5,13%. Nos últimos doze meses, o índice foi para 8,13%, o mais elevado desde dezembro de 2003 (9,30%). Em março de 2014, o IPCA ficou em 0,92%.

Esse resultado vai colocando em risco o planejamento financeiro dos aplicadores. A poupança já está perdendo no ano quase 2,00% e quase 1% em 12 meses. Investimentos atrelados ao CDI e a Selic em 12 meses conseguiram superar a inflação.

Como o cenário ainda é muito instável o dólar e ouro vêm sendo as melhores aplicações até aqui. A carteira teórica de renda fixa +Qi apresentou no mês de março e no ano uma rentabilidade negativa. Isto se deve porque não foi alterada a composição da carteira no início do ano para refletir as taxas mais altas de 2015.

E eu construí a tabela a coluna, com rendimento descontado a inflação com código de cores para chamar a atenção dos leitores. Assim as células em vermelho indicam os investimentos que ficaram abaixo da inflação, em cinza aqueles que empataram e, finalmente em azul os que conseguiram superar o IPCA. Para melhor compreensão o ranking é com base na rentabilidade de 12 meses (#12M).

Ranking_IPCA_MAR15

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Anúncios

A inflação e seus investimentos – Fevereiro de 2015

Mais uma vez sem surpresas a inflação em fevereiro, medida pelo IPCA, alcançou 1,22%. Em 12 meses o índice acumula uma alta de 7,70%. Esse resultado vai colocando em risco o planejamento financeiro dos aplicadores. Investimentos atrelados ao CDI e a Selic em 12 meses conseguiram superar a inflação. A poupança continua a ter perda significativa tanto no mês, quanto no acumulado em 12 meses. Embora a a renda variável, no mês, tenha tido bom desempenho tanto nominal, quanto real – descontado a inflação – eu não acredito que vá continuar. Não existe fundamento econômico doméstico que justifique a rentabilidade no mês.

Com o intuito de alertar os leitores do blog, eu construí a tabela a seguir onde as células em vermelho indicam os investimentos que ficaram igual ou abaixo da inflação e, em verde as que conseguiram superar o IPCA. Para fins de comparação o ranking é considerado a rentabilidade de 12 meses (#12M).

Ranking_IPCA_FEV15

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

A inflação e seus Investimentos – Janeiro de 2015

A inflação medida pelo IPCA em janeiro alcançou 1,24%, em 12 meses o índice acumula uma alta de 7,14%. Longe de ser uma surpresa para o mercado financeiro que já previa o descontrole é tempo de acender a luz amarela para os investidores na hora de fazer suas aplicações. Um descontrole dessa magnitude é capaz de destruir todo um planejamento financeiro como mostra a tabela abaixo. A poupança, que vem a ser a mais tradicional das “aplicações” teve perda significativa tanto no mês, quanto no acumulado em 12 meses. Investimentos atrelados ao CDI e a Selic em 12 meses conseguiram sair-se bem. Esse deve ser o caminho das aplicações ao longo de 2015.

Com o intuito de alertar os leitores do blog, eu construí a tabela a seguir onde as células em vermelho indicam os investimentos que ficaram igual ou abaixo da inflação e, em verde as que conseguiram superar o IPCA. Para fins de comparação o ranking é considerado a rentabilidade de 12 meses (#12M).

Ranking_IPCA_Jan15

E você deve estar se perguntando: o que fazer diante desse cenário? Como proteger meu dinheiro? Então, vamos planejar nosso investimento construindo uma base para ter-mos mais segurança para escolher o investimento mais apropriado.

O cenário traçado pelos economistas consultados pelo Banco Central, na pesquisa FOCUS, de 6 de fevereiro de 2015, prevê uma inflação de 6,56% para os próximos 12 meses. Uma taxa SELIC nos níveis da atual, em 12,50% a.a. . e o câmbio no final do ano em R$2,80/US$1,00.

Cenário base e premissas adotadas para uma carteira de renda fixa

A inflação medida pelo INPC de 6,56% acrescido de uma taxa real de 3,50%, totalizando 10,29%, sendo equivalente a 85,11% do CDI. Portanto, qualquer investimento igual ou acima seria indicado. Na última coluna eu coloquei para facilitar o entendimento a taxa correspondente em % do CDI. Assim, a poupança que rende 0,5% a.m., ou 6,17%a.a. equivale a 85,11% do CDI.

Claro que as taxas de LCI|LCA e CDBs serão melhores quanto maior for o volume de aplicação e o prazo de investimento. Vai valer o poder de negociação de cada um e o contato com seu planejador financeiro ou gerente de conta.

Diante desse ambiente, acredito que o melhor é ter uma carteira onde a liquidez seja privilegiada. Dentro desse perfil o estudo ficou assim:

Cart_FEV2015

Finalmente, como estratégia eu acredito que uma combinação de 50% de LFT e o restante em aplicações indexadas ao CDI com liquidez diária a partir de 30 dias seria a melhor opção para os próximos 12 meses.

BOM CARNAVAL a todos!

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Carteira de Renda Fixa – Resultado de 2014

Apresentamos o resultado da carteira teórica de renda fixa +Qi no ano de 2014, leia aqui… A carteira foi estruturada para captar o cenário de juros e inflação em trajetória de alta.

Cart_RFQI_DEZ2014

Naquela oportunidade a nossa meta de investimento era compor uma carteira de títulos que superasse a meta de investimento de INPC + 3,50%. Nossa meta foi batida alcançando 2% acima . Em relação ao CDI a carteira teve uma performance de 111,4%.

DES_Compa_RF_2014

A composição da carteira por indexador chegou ao final do ano da seguinte forma:

Composicao_RF_IndexO desempenho acumulado da carteira comparado a meta de investimento (INPC+3,50% a.a.) e ao CDI foi favorável a nossa estratégia como pode ser visto na tabela abaixo:

Desempenho_RF+QI2014

Para fins de comparação com outros produtos de mercado a carteira de renda fixa também apresentou resultado muito superior, colaborando com o que venho insistindo de que é necessário planejar para investir melhor.

Desempenho_CART_RF_DEZ14

 E então, vamos fazer nosso planejamento para 2015? Vá pensando nos seus objetivos de investimento, o prazo que você pode aplicar. Em breve vou publicar a carteira de renda fixa para 2015. Até lá!!!

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. A utilização deste material é de inteira responsabilidade do usuário. As informações disponíveis no BLOG poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Nova Carteira de Ações +Qi

Mesmo acreditando que o horizonte não é propício para o mercado de ações, decidi rever a carteira teórica. Acredito que os resultados das empresas ainda não refletem um quadro de recessão técnica, o risco de aumento de tarifas e preço de combustíveis. Todos esses eventos iram impactar negativamente os lucros de 2015.

Mas este é um período que dá início ao último quadrimestre do ano quando o nível de atividade econômica é sazonalmente melhor.

Minhas projeções indicam um P/L para o final de 2014 de 10,6x, o que representa um retorno de mercado de 9,4% a.a.. Comparado ao retorno de 10,75% projetado para a renda fixa, convenhamos, é bastante acanhado para despertar o apetite pelo mercado de ações.

Mas vamos lá! Aumentei a locação da carteira que passou de 79,6%, em ações para 98,64%. Incluí ITSA4, CRUZ3, BBSE3 e saíram BRKM5, SBSP3 e VIVT4. A nova carteira para o período de setembro a dezembro de 2014 ficou assim:

Cart_Acoes_Set_DEZ_14

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. A utilização deste material é de inteira responsabilidade do usuário. As informações disponíveis no BLOG poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Onde investir nos próximos 12 meses?

Com as incertezas econômicas (desempenho do comércio, da indústria e inflação alta) persistindo no 2º semestre e também para os primeiros meses de 2015 a renda fixa é o melhor caminho para proteger o nosso dinheiro. Conforme a sinalização do Boletim Focus de 18 de julho de 2014 o mercado projeta uma SELIC em 12% a.a. em 2015. Diante desse cenário me fiz a seguinte pergunta: como ficariam os investimentos para os próximos 12 meses? Para responder eu preparei um estudo para o período de julho de 2014 a junho de 2015. Nessa simulação eu considerei apenas ativos de prazos compatíveis com o período comentado. Não foram incluídas as NTN-B’s por que são títulos de maior prazo de duração. Cada ativo foi considerado levando em conta as suas características particulares. O Imposto de Renda foi descontado com a alíquota de 17,50% quando aplicável.

As aplicações em Letras de Crédito Imobiliário – LCI e Letras de Crédito do Agronegócio – LCA vêm ganhando a preferência dos aplicadores pela isenção do IR para pessoas físicas.  As Letras de Crédito Imobiliário – LCI são lastreadas por operações de crédito de financiamento imobiliário. As Letras de Crédito do Agronegócio – LCA são originadas com base em negócios entre produtores rurais, instituições financeiras e suas cooperativas.  Como desvantagem destaco que muitos bancos exigem um prazo de carência para retirar o dinheiro. Ou seja, numa emergência, o investidor tem restrições para resgatar o valor.

As Letras Financeiras do Tesouro – LFT é uma boa oportunidade para investidores em títulos públicos através do Tesouro Direto. As LFT’s são títulos pós-fixados. Elas têm a vantagem de acompanhar a variação da taxa Selic. A rentabilidade é diária e você pode acompanhar pelo site do Banco Central, veja aqui. O resgate pode ser efetuado toda 4ª feira através de recompra do banco Central. Você pode ver como aplicar nesse título acessando aqui ou no site da BMF&Bovespa, aqui. Além do imposto de renda descontei ainda a taxa de custódia de 0,30% e a taxa de administração de um banco ou corretora de 0,50%.

Os Certificados de Depósito Bancário – CDB são uma boa opção desde que sejam aplicados a uma taxa igual ou superior a 90% do CDI.

Os Fundos Referenciados – DI ficam mais atrativos, mas é preciso tomar cuidado com as taxas de administração e de performance e ainda o Imposto de Renda. Considerei uma taxa de administração de 1,50% a.a. sem pagamento de taxa de performance.

Quanto a Poupança tem a vantagem de ser uma aplicação fácil para a maioria dos aplicadores e não cobra taxa de administração nem Imposto de Renda. Mas o seu baixo rendimento é indicado apenas para aplicações que vão ficar por um curto período de tempo, 6 meses.

Para facilitar a análise já apresento a tabela, a seguir, com o ranking das aplicações com base na taxa líquida.

Investir_12M_2015

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. A utilização deste material é de inteira responsabilidade do usuário. As informações disponíveis no BLOG poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. 

 

Carteira de Renda Fixa – Resultado do 1º semestre de 2014

Apresentamos o resultado acumulado do 1º semestre de 2014 da carteira teórica de renda fixa +Qi, leia aqui… A carteira teórica continua estruturada para captar o cenário de juros e inflação em trajetória de alta.

 Cart_RF_1Sem14

Continuamos mantendo os ativos da carteira considerando o momento de manutenção da pressão inflacionária no curto prazo. Utilizamos como cenário básico a estimativa da taxa de juros de 11,0% para o final de 2014. Para a inflação a estimativa para o IPCA é de que encerre o ano em 6,48%. Para o INPC que é componente da nossa meta de investimento trabalhamos como uma estimativa de 6,71% para 2014. A distribuição de ativos por indexador é a seguinte:


AtivoIndexador-1ºSem14

Desempenho da carteira

Os ativos da carteira tiveram um desempenho acima da meta de investimento, INPC + 3,50%a.a., e de alguns índices do mercado como o CDI.

No acumulado de 20104 a carteira teve um desempenho de 6,01% contra uma valorização de 5,59% da meta de investimento.

  

Desempenho_1Sem14

 

A tabela seguinte mostra o desempenho acumulado desde o início da carteira comparada ao CDI e a Meta de Investimento:

 DesempenhoComparado_1Sem14

 

Gráfico I – Desempenho Acumulado

 Grafico_1Sem14

 Comparada a média da rentabilidade dos fundos de mercado a carteira também apresentou desempenho superior.

 Rentab_Fundos_1Sem14

 

Rentabilidade líquida da carteira

Como forma de avaliação simulamos os descontos de taxas e imposto de renda das aplicações. Assim, a carteira +Qi está descontada da taxa de administração de 0,50% e taxa de custódia de 0,30% a.a. Os fundos foram avaliados utilizando a taxa de administração média de 1,5% a.a. Ambos os investimentos fora descontados o imposto de renda com alíquota de 17,50%.  Rentabilidade líquida mais uma vez é vantajosa para a nossa carteira de renda fixa em relação aos fundos de mercado.

  

Rentab_Liq_1Sem14

 

Comentários sobre Marcação a Mercado vs Marcação na Curva do Papel

Na marcação a mercado, os títulos são contabilizados diariamente conforme a variação das taxas no mercado, de acordo com a média dos negócios realizados com papéis similares.

Esse método permite identificar o preço de venda do título, caso o investidor queira negociá-lo antes do vencimento, possibilitando aproveitar momentos favoráveis do mercado para obter retornos maiores que aqueles previstos na ocasião da aquisição. Por outro lado essa metodologia incorpora grande volatilidade a carteira.

Na marcação na curva os títulos são contabilizados pela taxa do papel desde a data de aquisição até o seu vencimento. Como vantagem ele não incorpora volatilidade à carteira.

Para uma carteira teórica como a nossa que é para avaliar o método de escolha de papéis levando em consideração um cenário econômico e que não haverá venda antecipada de ativos a marcação na curva do papel é mais apropriada. Como exemplo mostramos no gráfico abaixo o desempenho da carteira, desde o início,  pelos dois métodos:

Gráfico II – Marcação a Mercado[MaM] x Marcação na Curva

Graf2_1Sem14

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. A utilização deste material é de inteira responsabilidade do usuário. As informações disponíveis no BLOG poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.