Ranking das Aplicações Financeiras – Maio de 2015

O índice Bovespa não conseguiu manter a performance positiva que registrou no mês anterior. Os eventos domésticos negativos nas áreas politica, econômica e social influenciaram o desempenho do mercado acionário. Junta-se a isso a percepção de que o dinamismo internacional, notadamente da China, vem perdendo força.

Com esse cenário é natural que o dólar e o ouro continuem a dominar o ranking das aplicações.

O ranking está ordenado pela valorização de 12 meses. Veja como ficaram as aplicações em maio:Ranking_MAI15Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. A utilização deste material é de inteira responsabilidade do usuário. As informações disponíveis no BLOG poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Anúncios

Ranking das Aplicações Financeiras – Abril de 2015

Capitaneada pelo desempenho da Petrobrás e Vale o índice Bovespa teve uma valorização de 9,93% em abril. No ano a valorização alcança 12,44%, em 12 meses o índice acumula um ganho de 9,74%.  A carteira teórica de ações + Qi teve uma evolução de 6,06% no mês, enquanto, no ano a valorização é de 12,57%. Em 12 meses a carteira teve uma rentabilidade acumulada de 27,24%.

Depois de sete meses de valorização o dólar ficou em último lugar em abril, a moeda americana encerrou o mês com queda de 6,68%. Em Compensação no acumulado de 12 meses esta absoluto em 1º lugar com uma rentabilidade de 33,7%.

A carteira teórica de Renda Fixa + Qi teve uma valorização no mês de 1,27%, Em 12 meses a rentabilidade é de 12,57%, ou 101% do CDI.

O ranking está ordenado pela valorização de 12 meses. Veja como ficaram as aplicações em abril:

Ranking_ ABRIL15

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. A utilização deste material é de inteira responsabilidade do usuário. As informações disponíveis no BLOG poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Resenha de Março de 2015

Macro Visão

O cenário negativo, com juros altos, a inflação descontrolada, o déficit público elevado e o desempenho fraco da economia continuaram a assombrar o mercado financeiro.

  • A inflação continuou sua trajetória ascendente. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 1,32% em março. Assim, a inflação acumulada em 12 meses atingiu 8,13% (6,15% em igual período de2014) estourando o teto da meta de 6,50%;
  • A operação Lava Jato continuou a ser destaque nos jornais e a influenciar os mercados de capitais;
  • O Real desvalorizou 11,5% frente ao dólar. A taxa de câmbio chegou a R$3,208/US$1,00;

 Renda Fixa

O nível de incerteza quanto ao cenário econômico fez piorar a percepção de risco dos investidores. Desse modo, as taxas de juros prefixadas com prazo de vencimento mais curto apresentaram valorização significativa.

Evo_TX_PRE_MAR15

Entretanto, a aversão dos investidores em aumentar sua exposição em títulos pós fixados com prazos mais longos se refletiu nos resultados das taxas correspondentes.

Evo_TX_POS_MAR15

Os papéis de emissão bancária como os CDBs – TBF e CDBs Pré acompanharam a alta da Selic.

Evo_TX_PRE_POS_MAR15

Inflação

A energia elétrica foi a vilã do mês com aumento médio de 22,08% gerando 0,71 ponto percentual (p.p.) o representando 53,79% do IPCA.

Renda Variável

Em março, o Ibovespa caiu 0,84%,acumulando no ano uma rentabilidade de 2,29%. As ações de Suzano Papel e Celulose, Fibria e Usiminas foram os destaques beneficiadas pela desvalorização do dólar. No sentido contrário os papéis da ALL, Gol, Bradespar, Vale PNA, Marfrig e Vale ON foram destaques negativos.

Câmbio

O dólar valorizou 11,5% conjugando as incertezas domésticas em relação ao cenário econômico e o pela valorização do dólar o redor do mundo. A moeda americana encerrou o mês cotado a R$3,208.

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

A inflação e seus investimentos – Março de 2015

O IPCA – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) continuou a ganhar força em março. O índice apresentou no mês uma variação de 1,32%, ficando acima da taxa de fevereiro que foi de 1,22%. Com isto, o acumulado no ano de 2015 ficou em 3,83%, a maior taxa para um primeiro trimestre desde 2003, quando a alta foi de 5,13%. Nos últimos doze meses, o índice foi para 8,13%, o mais elevado desde dezembro de 2003 (9,30%). Em março de 2014, o IPCA ficou em 0,92%.

Esse resultado vai colocando em risco o planejamento financeiro dos aplicadores. A poupança já está perdendo no ano quase 2,00% e quase 1% em 12 meses. Investimentos atrelados ao CDI e a Selic em 12 meses conseguiram superar a inflação.

Como o cenário ainda é muito instável o dólar e ouro vêm sendo as melhores aplicações até aqui. A carteira teórica de renda fixa +Qi apresentou no mês de março e no ano uma rentabilidade negativa. Isto se deve porque não foi alterada a composição da carteira no início do ano para refletir as taxas mais altas de 2015.

E eu construí a tabela a coluna, com rendimento descontado a inflação com código de cores para chamar a atenção dos leitores. Assim as células em vermelho indicam os investimentos que ficaram abaixo da inflação, em cinza aqueles que empataram e, finalmente em azul os que conseguiram superar o IPCA. Para melhor compreensão o ranking é com base na rentabilidade de 12 meses (#12M).

Ranking_IPCA_MAR15

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Resenha de Fevereiro de 2015

Macro Visão

O cenário negativo, juros altos, inflação descontrolada, déficit público elevado e desempenho fraco da economia começam a se materializar.

  • Pela 4ª vez o COPOM decidiu elevar a SELIC que passa a valer 12,75%a.a.;
  • A inflação em fevereiro medida pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 1,22% em janeiro. Assim, a inflação acumulada em 12 meses atingiu 7,70% (5,68% em igual período de2014) estourando o teto da meta de 6,50%;
  • A gasolina aumentou 8,42%, em média, refletindo o aumento nas alíquotas do PIS/COFINS;
  • A operação Lava Jato continuou a ser destaque nos jornais e a influenciar os mercados de capitais;
  • O Real desvalorizou 8,11% frente ao dólar. A taxa de câmbio chegou a R$2,8782/US$1,00;
  • Eleição dos Presidentes do Congresso, Eduardo Cunha para a Câmara dos Deputados e Renan Calheiros para o Senado esquentaram os ânimos no ambiente político.

 Renda Fixa

A lua de mel com a equipe econômica acabou. Com um cenário tão conturbado as taxas de juros no mercado de renda fixa tiveram uma forte elevação.

 Evo-TX_PRE_FEV15

O mesmo cenário foi observado nas taxas pós fixadas das NTNBs.

Evo-TX_POS_FEV15

Na tabela seguinte o que se observa é que os CDBs – TBF e CDBs Pré não acompanharam a alta da Selic. Este movimento pode ser explicado pelo menor número de dias úteis de fevereiro, 18 dias, contra 21 dias do mês de março.

Evo_TX_PRE_POS_FEV15

Inflação

Com destaque para os aumentos da gasolina em 8,42% e como consequência o de transportes a inflação medida pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 1,22% em fevereiro. No acumulado em 12 meses chegou 7,70%  estourando o teto da meta de 6,50%.

IPCA_FEV15

Renda Variável

Em fevereiro, o Ibovespa subiu 9,97%, maior ganho mensal desde janeiro de 2012, acumulando no ano uma rentabilidade de 3,15%. A Petrobras subiu 17,9%, outros  destaques foram das ações que compõem o índice foram Bradesco, Vale, Itaú,Itaúsa, Banco do Brasil, BM&F Bovespa e Gerdau, todas subiram acima de dois dígitos. Mesmo com o bom desempenho demonstrado continuo não acreditando em renda variável este ano. A volatilidade ainda será muito forte não sendo um bom indicativo para o pequeno investidor.

Câmbio

A moeda americana valorizou 8,11% conjugando as incertezas domésticas em relação ao cenário econômico e o pela valorização do dólar o redor do mundo. A moeda americana encerrou o mês cotada a R$2,8782.

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

A inflação e seus investimentos – Fevereiro de 2015

Mais uma vez sem surpresas a inflação em fevereiro, medida pelo IPCA, alcançou 1,22%. Em 12 meses o índice acumula uma alta de 7,70%. Esse resultado vai colocando em risco o planejamento financeiro dos aplicadores. Investimentos atrelados ao CDI e a Selic em 12 meses conseguiram superar a inflação. A poupança continua a ter perda significativa tanto no mês, quanto no acumulado em 12 meses. Embora a a renda variável, no mês, tenha tido bom desempenho tanto nominal, quanto real – descontado a inflação – eu não acredito que vá continuar. Não existe fundamento econômico doméstico que justifique a rentabilidade no mês.

Com o intuito de alertar os leitores do blog, eu construí a tabela a seguir onde as células em vermelho indicam os investimentos que ficaram igual ou abaixo da inflação e, em verde as que conseguiram superar o IPCA. Para fins de comparação o ranking é considerado a rentabilidade de 12 meses (#12M).

Ranking_IPCA_FEV15

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.

Nova alta da Selic beneficia títulos atrelados a inflação

Com a decisão do Comitê de Política Monetária – COPOM (Banco Central) de elevar a taxa SELIC em 0,50%, na quarta feira – 04 de março, a SELIC passa a valer agora 14,75% a.a. até a nova reunião marcada para o dia 29 de abril de 2015. Com essa nova alta, a 4ª consecutiva, os títulos indexados a inflação como a NTN B passa a ser mais atrativa diante do cenário de alta da inflação em detrimento aos CDBs, LCI/LCA e dos Fundos de Renda Fixa referenciados ao CDI. A caderneta de poupança cada vez mais deixa de ser vantajosa.

As aplicações ficaram assim…
As Letras de Crédito Imobiliário – LCI e Letras de Crédito Agrícola – LCA com remuneração atrelada ao CDI – Certificado de Depósito Bancário passam a render 10,71% a.a.. Esses papéis, assim como a poupança são isentos de imposto de renda.

Os fundos referenciados DI, considerando uma remuneração de 100% do CDI – Certificado de Depósito Bancário apresentam um rendimento líquido de 9,49%, considerando uma taxa de administração de 1,50% ao ano.

O CDB – Certificado de Depósito Bancário que normalmente são oferecidos a 90% do CDI remuneram agora a taxa de 9,36% ao ano líquidos de imposto de renda.

O Tesouro Direto, sistema de compra e venda de títulos públicos, é a melhor alternativa de investimento desde que o investidor mantenha o título até o vencimento. Foram considerados os descontos do imposto de renda (alíquota de 17,50%), da taxa de administração de 0,50% e da taxa de custodia de 0,30% da BMF& Bovespa. A NTN B com vencimento em 15/08/20 poderia ser adquirida com uma taxa líquida de 11,11% a.a. Este cálculo considera a taxa nominal de 6,25% (oferecida em 06 de fevereiro 2015) mais um IPCA projetado para 12 meses de 7,65% (taxa bruta de 14,38%).

Os títulos que acompanham a alta da Selic, classificados como pós-fixados, como as Letras Financeiras do Tesouro – LFTs, de vencimento em 07/03/17, passam a render 9,69% líquido ao ano. As Letras do Tesouro Nacional – LTNs, títulos prefixados com vencimento 01/01/2017 remuneram a taxa líquida de 10,37%. As taxas dos títulos públicos utilizadas para análise são as praticadas no dia 06 de fevereiro de 2015 e estão demonstradas no anexo.

Eu simulei as aplicações líquidas, com um horizonte de investimento de 12 meses. Veja como fica a rentabilidade das aplicações de renda fixa a partir de agora para um valor inicial investido de R$10.000,00:

SELIC_MAR15

Comparação das taxas líquidas – prazo de 12 meses

SELIC_GRAF_MAR15

ANEXO

 A tabela a seguir representa os preços e as taxas dos títulos públicos disponíveis para compra no dia 06 de março de 2015.

 

PRECO_td_MAR15

Isenção de responsabilidade: Este artigo foi desenvolvido com objetivo meramente didático, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra ou venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. A utilização deste material é de inteira responsabilidade do usuário. As informações disponíveis no BLOG poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas. As informações contidas neste artigo foram consideradas razoáveis na data em que foi editado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O criador do BLOG não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações.